O PODER DE INFLUÊNCIA DOS ALGORITMOS NO COMPORTAMENTO DOS USUÁRIOS EM REDES SOCIAIS E APLICATIVOS

Autores

  • Charles Emmanuel Parchen Professor do curso de Direito do Centro Universitário Curitiba (Curitiba/Brasil)
  • Cinthia Obladen de Almendra Freitas Professora Permanente do Programa de Direito Econômico e Socioambiental da Pontifícia Universidade Católica - PR (Curitiba/Brasil)
  • Andreza Cristina Baggio Professora no Curso de Especialização em Direito Processual Civil da UNINTER/IBPEX

DOI:

https://doi.org/10.14210/nej.v26n1.p312-329

Palavras-chave:

Algoritmos, Comportamento, Mídias sociais, Aplicativos, Sociedade da informação.

Resumo

O presente artigo visa analisar o comportamento dos usuários da Internet, considerando sua inserção no mundo tecnológico. A ausência de proteção de dados e a mineração destes, a insubsistência da privacidade, hiperexposição de intimidade são efeitos nefastos observados na modernidade, decorrentes do acesso em massa à tecnologia e da busca incessante pela lucratividade. As circunstâncias ora vivenciadas são graves e denota-se que o Direito, dentro de suas limitações burocráticas e deliberativas sequer consegue acompanhar os fatos e as relações que demandam salvaguarda. Desta forma, a presente pesquisa será bibliográfica, de método hipotético-dedutivo, e buscará características das redes e seus principais modelos para permitir a identificação das redes sociais ao respectivo modelo de negócios. No tocante a relação usuário-empresa, será abordada a influência dos algoritmos nas tomadas de decisão dos usuários, para ao final, demonstrar a responsabilidade dos algoritmos nos impulsos de maus comportamentos dos usuários de redes sociais e aplicativos

Referências

ABREU, Moises. Qual a importância de algoritmos na programação? Portal Acadtec. Disponível em: https://www.acadtec.com.br/blog/desenvolvimento-backend/qual-a-importancia-de-algoritmos-na-programacao. Acesso em 10 dez. 2020.

ÂNGELO, Kedson. A história da criação do WhatsApp. Disponível em em: https://www.linkedin.com/pulse/hist%C3%B3ria-da-cria%C3%A7%C3%A3o-do-whatsapp-kedson-angelo. Acesso em 10 dez. 2020.

BARABASI, Albert-Lászlo. Linked: a nova ciência dos networks. São Paulo: Leopardo Editora, 2009.

BHAGAT, Smriti; BURKE, Moira; DIUK, Carlos; FILIZ, Ismail Onur. Three and a half degrees of separation. Facebook Research. Disponível em: https://research.fb.com/three-and-a-half-degrees-of-separation/. Acesso em 10 dez. 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em 10 dez. 2020.

BRASIL. [Lei 13.708 (2018)]. Lei de proteção de dados. Brasília, DF: Presidência da República [2018]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13709.htm. Acesso em 10 dez. 2020.

BRASIL. [Lei 13.718 (2018)]. Lei 13.718/2018. Brasília, DF: Presidência da República, [2018]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13718.htm. Acesso em 10 dez. 2020.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet, reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Zahar, 2003.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. v.1.São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTI, John. O Colapso de Tudo. Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 2012. Versão do Kindle.

CORMEN, Thomas H. Desmistificando algoritmos. 1ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

EUROPE UNION GENERAL DATA PROTECTION REGULATION. Disponível em: https://eugdpr.org/. Acesso em 10 dez. 2020.

FACEBOOK. Termos de Uso e Serviço. Disponível em: https://pt-br.facebook.com/terms. Acesso em 10 dez. 2020.

FREITAS, Cinthia Obladen de Almendra. Redes sociais: sociedade tecnológica e inclusão digital. In: Marcos Wachowicz. (Org.). Direito da sociedade da informação e propriedade intelectual. 1ªed. Curitiba: Juruá. 2012.

HARARI, Yuval Noah. Homo Deus: uma breve história do amanhã. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílios – PNAD contínua. Ano 2018. Disponível em: https://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_continua/Anual/Acesso_Internet_Televisao_e_Posse_Telefone_Movel_2018/Analise_dos_resultados_TIC_2018.pdf. Acesso em 10 dez.2020.

INTERNET WORLD STATS. Internet usage statistics. Disponível em: https://www.internetworldstats.com/stats.htm. Acesso em 10 dez. 2020.

JORNAL THE TELEGRAPH. Who owns Snapchat and when was it created?. Disponível em: https://www.telegraph.co.uk/technology/0/owns-snapchat-created/. Acesso em 10 dez. 2020.

PIERRO, Bruno de. O Mundo mediado por algoritmos. São Paulo: Revista Pesquisa Fapesp. ed. 266, abr. 2018. Disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2018/04/19/o-mundo-mediado-por-algoritmos/. Acesso em 10 dez. 2020.

PLAYSTORE. Disponível em: https://play.google.com/store. Acesso em 10 dez. 2020.

PORTAL STATISTA. Disponível em: https://www.statista.com/statistics/545967/snapchat-app-dau/. Acesso em 10 dez. 2020.

PORTAL TECHTUDO. WhatsApp bate marca de 1,5 bilhão de usuários ativos. Disponível em: https://www.techtudo.com.br/noticias/2018/02/whatsapp-bate-15-bilhao-de-usuarios-ativos.ghtml. Acesso em 10 dez. 2020.

RECUERO, Raquel da Cunha. Redes sociais na internet: considerações iniciais. Porto Alegre: Editora Compós, v. 2, 2005. Disponível em: http://www.ufrgs.br/limc/PDFs/redes_sociais.pdf. Acesso em 10 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.30962/ec.28

SANTANA JUNIOR, Edemilson Cruz. A digitalização do mercado de capitais no Brasil: tendências recentes. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília: Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8280/1/TD_2370.PDF. Acesso em Acesso em 10 dez. 2020.

SANTOS, Erick Muzart Fonseca dos. A revolução dos algoritmos. Portal Inova TCU. Disponível em: https://portal.tcu.gov.br/inovatcu/noticias/a-revolucao-dos-algoritmos.htm. Acesso em 10 dez. 2020.

SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. São Paulo: Edipro, 2016.

THE GUARDIAN. How algorithms rule the world. Disponível em: https://www.theguardian.com/science/2013/jul/01/how-algorithms-rule-world-nsa. Acesso em 10 dez. 2020.

UNITED NATIONS. International Telecommunication Union. Internet users statistics by region and country 2005-2019. Disponível em: https://www.itu.int/en/ITU-D/Statistics/Pages/stat/default.aspx. Acesso em 10 dez.2020.

Downloads

Publicado

2021-05-24

Como Citar

PARCHEN, C. E.; FREITAS, C. O. de A.; BAGGIO, A. C. O PODER DE INFLUÊNCIA DOS ALGORITMOS NO COMPORTAMENTO DOS USUÁRIOS EM REDES SOCIAIS E APLICATIVOS. Novos Estudos Jurí­dicos, Itajaí­ (SC), v. 26, n. 1, p. 312–329, 2021. DOI: 10.14210/nej.v26n1.p312-329. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/nej/article/view/17587. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos