INOVAÇÃO E SOBERANIA: A NECESSIDADE DO INVESTIMENTO ESTATAL EM P&D: O INVESTIMENTO ESTATAL EM TECNOLOGIA COMO FORMA DE MANUTENÇÃO DE HEGEMONIA

Autores

  • Felipe Chiarello de Souza Pinto Programa de Mestrado e Doutorado em Direito Político e Econômico da Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Kristian Rodrigo Pscheidt cursos de graduação e pós-graduação em Direito pela Universidade Tuiuti do Paraná e da Faculdade CNEC Campo Largo.

DOI:

https://doi.org/10.14210/nej.v21n2.p421-441

Palavras-chave:

Estado. Tecnologia. Sociedade do Conhecimento. Soberania. Hegemonia.

Resumo

O Estado hoje é o ator central no desenvolvimento de tecnologias revolucionárias. Incentiva, financia e tem a paciência necessária para assumir os riscos de um investimento futuro e incerto. Porém os objetivos desta atuação estatal vão muito além da geração de empregos ou arrecadação. Trata-se de assegurar vantagem na corrida militar, ficar na vanguarda dos movimentos econômicos e, principalmente, em uma Sociedade do Conhecimento, permitir que a sociedade que represente esteja na dianteira intelectual. A tecnologia, entendida como inovação, desvenda uma estratégia política econômica de o Estado deter soberania em um ambiente mundial. Depende invariavelmente das instituições e, infelizmente, o Brasil ainda não percebeu essas variáveis.

Downloads

Publicado

2016-08-15

Como Citar

DE SOUZA PINTO, F. C.; PSCHEIDT, K. R. INOVAÇÃO E SOBERANIA: A NECESSIDADE DO INVESTIMENTO ESTATAL EM P&D: O INVESTIMENTO ESTATAL EM TECNOLOGIA COMO FORMA DE MANUTENÇÃO DE HEGEMONIA. Novos Estudos Jurí­dicos, Itajaí­ (SC), v. 21, n. 2, p. 421–441, 2016. DOI: 10.14210/nej.v21n2.p421-441. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/nej/article/view/9091. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos