O PENSAMENTO POLÍTICO NOSSO DE CADA DIA E O FASCISMO TRANSNACIONAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14210/rdp.v18n1.p79-96

Palavras-chave:

Pensamento político; fascismo; fascismo transnacional; Brasil.

Resumo

Contextualização: O estudo que se apresenta é contemporâneo ao cenário de atos antidemocráticos que culminaram no assalto à Praça dos Três Poderes, em Brasília, no dia 08 de janeiro de 2023, com invasão ao Congresso Nacional, ao Palácio do Planalto e ao Supremo Tribunal Federal designados por instituições estrangeiras como resultado do fascismo transnacional.

Objetivo: O artigo objetiva contrastar as bases do pensamento político brasileiro que culminaram nos atos antidemocráticos de 08 de janeiro de 2023, segundo as  ideias de Raymundo Faoro, com a atribuição de fenômenos de fascismo transnacional para fins de apontar os pressupostos ideológicos que nutriram os respectivos movimentos de assalto e sublevação.

Metodologia: utilizou-se, para o desenvolvimento da presente pesquisa, o método indutivo, operacionalizado pelas técnicas de conceito operacional, da pesquisa bibliográfica.

Resultado: Os atentados de 08 de janeiro de 2023 são frutos do pensamento político brasileiro endêmico. As reivindicações, as frustrações e as soluções dos envolvidos nos atos de sublevação decorrem de épocas passadas. Ao longo das manifestações dos envolvidos no assalto à Brasília não se observa lastro teórico e ideológico substancial de articulação transnacional.

Biografia do Autor

Marcio Ricardo Staffen, Universidade do Vale do Itajaí

Doutor em Direito Público Comparado pela Università degli Studi di Perugia - Itália. Doutor e Mestre em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI. Estágio de Pós-Doutorado em Direito Transnacional – Università degli Studi di Perugia (CAPES/PDE). Professor no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica – Universidade do Vale do Itajaí/UNIVALI. Visiting researcher junto ao Max Planck Institute of Comparative Public Law and International Law (Heidelberg). Doutor Honoris Causa pela Universidad Antonio Guillermo Urello (Peru). Professor Honorário da Faculdade de Direito e Ciências Sociais da Universidad Inca Garcilaso de la Vega (Peru). Advogado (OAB/SC).

Referências

ARAÚJO, Ernesto Henrique Fraga. Globalismo: uma visão a partir do pensamento de Nietzsche. Cadernos de Política Exterior, v. 5, n. 8, p. 05, 2019. DOI: https://doi.org/10.61623/cpe.v5n9.a01

BARBA, Mariana Della; WENTZEL, Marina. Discurso de Bolsonaro deixa ativistas “estarrecidos” e leva OAB a pedir sua cassação. BBC Brasil. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/04/160415_bolsonaro_ongs_oab_mdb. Acesso em 25 jan. 2023.

CARDOSO, Fernando Henrique. Pensadores que inventaram o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

COLLOTTI, Enzo. Fascismo, fascismi. Firenze: Sansoni, 1989.

COMPARATO, Fábio Konder. Apresentação – contracapa. In: FAORO, Raymundo. A república inacabada. Existe um pensamento politico brasileiro? São Paulo: Globo, 2007.

COTTORRELL, Roger. What is transnational law? Law & Social Inquiry – Queen Mary University of London, London, n. 2, p. 340-372, 2012.

FAORO, Raymundo. A república inacabada. Existe um pensamento politico brasileiro? São Paulo: Globo, 2007.

FREUD, Sigmund. Group psychology and the analysis of the ego. Londres, Hogarth, 1922. DOI: https://doi.org/10.1037/11327-000

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MAFEI, Rafael; BUSTAMANTE, Thomas; MEYER, Emílio Peluso Neder; Brazil: From Antiestablishmentarianism to Bolsonarism. In: SAJÓ, Andras; UITZ, Renata; HOLMES, Stephen. (eds.). The Routledge Handbook on Illiberalism. Oxfordshire: Routledge, 2021.

MAINWARING, Scott. Sem invasão do Capitólio não haveria o 8 de janeiro, diz cientista político americano. BBC News Brasil. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-64421108. Acesso em: 24 fev. 2023.

OAKESHOTT, Michael. Rationalism in politics and other essays. Londres/Nova York, Methuen, 1984.

ORWELL, George. O que é fascismo? E outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

PARLAMENTO EUROPEU. Resolução 2023/2505. Disponível em: https://www.europarl.europa.eu/doceo/document/TA-9-2023-0013_PT.html. Acesso em 06 fev. 2023.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. A formação e o sentido do Brasil. Rio de Janeiro: Global, 2022.

ROSENFIELD, Luis. Revolução conservadora: genealogia do constitucionalismo autoritário brasileiro (1930-1945). Porto Alegre: EdiPUCRS, 2021.

SCHMITT, Carl. O conceito do político. Belo Horizonte; DelRey, 2009.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2019.

STAFFEN, Márcio Ricardo. Entre a superlegalidade e a teologia política: consequências da atuação das instituições religiosas no Programa Nacional de prevenção primária à corrupção no Brasil e nas “10 medidas de combate à corrupção”. Revista Estudos Institucionais, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 625–642, ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v6i2.472

STAFFEN, Márcio Ricardo. Hegemonia e direito transnacional. Revista Novos Estudos Jurídicos, Itajaí, v. 20, n. 3, set/dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.14210/nej.v20n3.p1166-1187

STAFFEN, Márcio Ricardo. PETIT GUERRA, Luis Alberto. The form of transnational law. Sequência, v. 42, n. 87, maio-ago. 2021. DOI: https://doi.org/10.5007/2177-7055.2021.e82466

STRECK, Lenio Luiz. Hermenêutica jurídica e(m) crise: uma exploração hermenêutica da construção do direito. 8. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

VANNUCCI, Alberto. Challenges in the study of corruption: approaches and policy implications. Revista Brasileira de Direito, v. 13, n. 1, p. 251-281, mar. 2017. DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v13n1p251-281

VOLPI, Mauro. Libertà e autorità La classificazione delle forme di Stato e delle forme di governo. 4. ed. Torino: G. Giappichelli, 2010.

Publicado

04-04-2023

Como Citar

STAFFEN, M. R. O PENSAMENTO POLÍTICO NOSSO DE CADA DIA E O FASCISMO TRANSNACIONAL. Revista Eletrônica Direito e Política, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 79–96, 2023. DOI: 10.14210/rdp.v18n1.p79-96. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/rdp/article/view/19305. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos