IMPLICAÇÕES ÉTICAS SOBRE A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE: JUSTIÇA E DIREITO PÓS DITADURA MILITAR

Autores

  • Williani de Almeida Carvalho Universidade Metodista/SP

DOI:

https://doi.org/10.14210/rdp.v8n2.p776-794

Palavras-chave:

Ética, Ditadura Militar, Direito, Comissão Nacional da Verdade

Resumo

O artigo trata sobre as implicações éticas da constituição da Comissão Nacional da Verdade instalada oficialmente pela presidenta Dilma Rousseff em 18 de novembro de 2011 e instituída com o intuito de investigar violações dos direitos humanos no período da ditadura militar no Brasil. Tem como principal objetivo entender de que forma essa comissão pode contribuir no exame dos fatos dessa fase autoritária da história do Brasil. Procuramos estabelecer inferências causais entre ética, direitos humanos e sua relação com esses dois fatores (ditadura militar e comissão nacional da verdade) na análise da história social e política brasileira. Concluímos que a “política do silêncio” prevalecente na nossa sociedade por um período considerável merece que relembremos o passado para não poder repeti-lo a fim de reafirmarmos que a ética só é possível quando se tem como principal critério a dignidade da vida em suas mais variadas dimensões.

Downloads

Como Citar

CARVALHO, W. de A. IMPLICAÇÕES ÉTICAS SOBRE A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE: JUSTIÇA E DIREITO PÓS DITADURA MILITAR. Revista Eletrônica Direito e Política, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 776–794, 2014. DOI: 10.14210/rdp.v8n2.p776-794. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/rdp/article/view/5458. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos