A AUTONOMIA DO DIREITO DESPORTIVO

Autores

  • Felipe Bertasso Tobar Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE. Joinville-SC
  • Fernando de Lima Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE. Joinville-SC

DOI:

https://doi.org/10.14210/rdp.v7n3.p1853-1873

Palavras-chave:

Direito constitucional, Desporto, autonomia.

Resumo

Resumo: O presente artigo versa acerca do direito desportivo, ramo do Direito que por meio dos grandes eventos desportivos a serem realizados no Brasil, começa a ganhar enorme publicidade no cenário jurídico nacional. Interdisciplinar e secular, este ramo do Direito congrega em si particularidades, tais como leis, códigos, regras, fontes, normas, regulamentações e diretrizes, assentando assim um ordenamento jurídico próprio. Objetiva então, além de evidenciar o quão desenvolvido encontra-se o direito desportivo, caracterizar e comprovar com o suporte de requisitos jurídicos indispensáveis, sua autonomia científica, didática e legislativa.

Downloads

Como Citar

TOBAR, F. B.; LIMA, F. de. A AUTONOMIA DO DIREITO DESPORTIVO. Revista Eletrônica Direito e Política, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 1853–1873, 2014. DOI: 10.14210/rdp.v7n3.p1853-1873. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/rdp/article/view/5566. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos