O DIREITO É A BANANA DA BIOPOLÍTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14210/rdp.v18n3.p452-466

Palavras-chave:

Direito e Biopolítica, Direito e Pandemia, Trabalho e Pandemia, Trabalho e Morte, Direito e Necropolítica

Resumo

Contextualização do tema: O presente texto foi escrito no contexto da pandemia de Covid-19, diante de situação peculiar em que o corpo de direção de uma instituição de ensino superior particular demandava o retorno dos professores ao ensino presencial. Por esta ocasião, pensou-se na discussão a respeito da relação entre trabalho e morte, utilizando-se da metáfora da banana como figura de linguagem ilustrativa da situação.

Objetivos: O texto tem por objetivo pensar algumas relações entre trabalho e morte em tempos de pandemia. Para tanto, discute elementos da biopolítica e da necropolítica a partir de uma metáfora provocativa que relaciona o direito à banana.

Metodologia: O método utilizado no presente texto é o dedutivo; de revisão bibliográfica de noções elaboradas por Michel Foucault, Byung-Chul Han, Achille Mbembe, Eduardo Viveiros de Castro e Ghassan Hage; e possui caráter ensaístico.

Resultados: Constatou-se que a partir da metáfora elaborada da banana o direito pode ser associado como um dispositivo biopolítico para discutir e fazer pensar as relações entre trabalho e morte em tempos de pandemia, mas não apenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Alexandre Ricciardi Sbizera, Escola de Direito das Faculdades de Londrina– UNILONDRINA

Doutor em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor titlar na Escola de Direito das Faculdades de Londrina– UNILONDRINA.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre a filosofia da história. In. Sobre arte, técnica, linguagem e política. Tradução de Maria Luz Moita, Maria Amélia Cruz e Manuel Alberto. Lisboa: Relógio D’água, 1992.

CAETANO, João Carlos Relvão; BEDÊ, Fayga Silveira; ALMEIDA, Leinard Rocha de; SANTOS, Mateus Rocha. Ensino jurídico participativo durante a pandemia da covid-19: como transpor metodologias ativas para o ambiente virtual – relato de experiências. In. Revista Culturas Jurídicas, Vol. 8, Núm. 21, set./dez., 2021. DOI: https://doi.org/10.22409/rcj.v8i21.54345

CANCELLIER DE OLIVO, Luis Carlos. O imaginário jurídico na representação literária. In. Por uma compreensão jurídica de Machado de Assis. Florianópolis: UFSC; Fundação Boiteaux, 2011.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. O que está acontecendo no Brasil é um genocídio. São Paulo: n-1, 2020.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e José Augusto Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

HAGE, Ghassan. O fantasma do acadêmico inútil: pensamento crítico em tempos de coronavírus. Tradução de Rodrigo Bulamah. São Paulo: n-1, 2020.

HAN, Byung-Chul. Topologia da violência. Tradução de Enio Paulo Giachini. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

INVISÍVEL, Comitê. Motim e destituição agora. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. São Paulo: n-1, 2017.

KONDER, Leandro. As artes da palavra: elementos para uma poética marxista. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto comunista. Tradução de Álvaro Pina e Ivana Jinkings. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: livro I: o processo de produção do capital. Tradução de Rubens Enderle. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Tradução de Renata Santini. São Paulo: n-1, 2018.

OLIVEIRA, Rodrigo Rios Faria de; ANDRADE, Nelson Lambert de. A Educação e o Ensino Jurídico no Brasil: um percurso na pandemia. In. Brazilian Applied Science Review, Curitiba, v.5, n.2, p.878-890mar./abr. 2021. DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n2-019

PINTO, Anna Carolina Cunha. Da bio à tanatopolítica: extermínio e seletividade do direito à vida da juventude negra, pobre e periférica da cidade do Rio de Janeiro. Dissertação. Mestrado em Ciências Jurídicas e Sociais. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito. Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2018.

RODRIGUES, Horácio Wanderlei. Educação superior em tempos de pandemia: direito temporário aplicável e seu alcance. In. Revista de Pesquisa e Educação Jurídica. v. 6. n. 1 Jan/Jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9636/2020.v6i1.6526

TABARELLI, Liane; GALIA, Rodrigo Wasem. Repensando o ensino jurídico a partir da pandemia (covid-19) e as novas tecnologias para a educação à distância. In. CERS - Revista Científica Disruptiva. v. III. n. 1. Jan-jun. 2021.

TIQQUN. Contribuição para a guerra em curso. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. São Paulo: n-1, 2019.

Publicado

15-12-2023

Como Citar

RICCIARDI SBIZERA, J. A. O DIREITO É A BANANA DA BIOPOLÍTICA. Revista Eletrônica Direito e Política, [S. l.], v. 18, n. 3, p. 452–466, 2023. DOI: 10.14210/rdp.v18n3.p452-466. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/rdp/article/view/18687. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos