• Resumo

    FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DA REGULAÇÃO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO E DOS PORTOS

    Data de publicação: 22/09/2020
    O artigo objetiva discorrer sobre os fundamentos constitucionais da regulação do transporte aquaviário e da atividade portuária, em face da ausência de serviço adequado (previsibilidade, modicidade, pontualidade e eficiência) ao usuário. O tema se justifica pela necessidade de equilíbrio entre os interesses da carga (usuário), de um lado, e do transportador marítimo internacional e do operador portuário, de outro lado. Para tanto, o artigo está dividido em duas partes e tem a hipótese que os fundamentos constitucionais aumentam efetividade do serviço adequado no setor acima. O Capítulo 1 introduz o Direito Marítimo e o Direito Portuário e o Capítulo 2 discorre sobre os fundamentos constitucionais da regulação. As considerações finais comprovam a importância do constitucionalismo para a efetividade do serviço adequado, especialmente com base no art. 174, caput, da Constituição Federal.
  • Referências

    ARROYO, Ignacio. Compendio de Derecho marítimo. 2. ed. Madrid: Tecnos, 2002.

    ATIENZA, Manuel. As Razões do Direito - Teorias da Argumentação Jurídica - Perelman, Toulmin, MacCormick, Alexy e outros. 2ª. ed. São Paulo: Landy, 2002.

    ATIENZA, Manuel. Una Filosofia del Derecho para el Mundo Latino. Otra vuelta de tuerca, Mimeografado, 2015.

    BAUCHET, Pierre. Les transports mondiaux, instrument de domination. Paris: Economica, 1998.

    CASTRO JUNIOR, Osvaldo Agripino de; RODRIGUES, Maycon. Direito Portuário: Modicidade, Previsibilidade e defesa da concorrência. Florianópolis: Conceito, 2019.

    CRUZ, Paulo Márcio. Fundamentos do Direito Constitucional. Curitiba: Juruá, 2002.

    HELD, David; McGREW, Anthony; GOLDBLATT, David; PERRATON, Jonathan. Global transformations: Politics, economics and culture. Stanford: Stanford University Press, 1999.

    HESSE, Konrad. A força normativa da Constituição. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1991.

    JORDÃO, Eduardo. Controle judicial de uma administração pública complexa – A experiência estrangeira na adaptação da intensidade do Controle. São Paulo: Malheiros, 2016.

    JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de Direito Administrativo. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

    LORANGE, Peter. Shipping Company Strategies: Global Management under Turbulent Conditions. London: Emerald, 2008.

    MOURA, Geraldo Bezerra de. Direito da navegação. São Paulo: Aduaneiras, 1991.

    SUNSTEIN, Cass R. Free Markets and Social Justice. Oxford University Press: Oxford, New York, 1999.

    TETLEY, William. International Maritime and Admiralty Law. Québec: Éditions Yvon Blais, 2002.

Novos Estudos Jurí­dicos

A revista Novos Estudo Jurídicos (NEJ), Qualis A1 Direito, é um periódico científico quadrimestral, com publicações ininterruptas desde 1995, nos meses de Abril, Agosto e Dezembro. Sua missão é promover o aprimoramento dos estudos na área do Direito, especialmente nas seguintes linhas: “Constitucionalismo e Produção do Direito”, “Direito, Jurisdição e Inteligência Artificial” e “Direito Ambiental, Transnacionalidade e Sustentabilidade”.

A NEJ é um dos periódicos científicos da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) e está vinculado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica da UNIVALI (conceito CAPES 6), cursos de Mestrado e Doutorado.

O periódico oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. 

A visão da revista Novos Estudo Jurídicos (NEJ) consiste na publicação de artigos e relatos de pesquisas inéditos de autoria de docentes, discentes e pesquisadores, estimulando os debates críticos e éticos sobre assuntos relacionados aos temas que compõem sua Linha Editorial.

Access journal