REFLEXÕES SOBRE O “CASO PINHEIRO” À LUZ DO ESTADO DE DIREITO SOCIOAMBIENTAL BRASILEIRO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14210/rdp.v17n3.p755-779

Palavras-chave:

“Caso Pinheiro”, mineração, meio ambiente, Ações Civis Públicas, homologação judicial.

Resumo

Contextualização do tema: O “Caso Pinheiro” tem sua origem na atividade de mineração e extração da Salgema realizada pela empresa Braskem no Estado de Alagoas e representa atualmente um dos maiores desafios para efetivação dos ditames do Estado de Direito Socioambiental vigentes no Brasil diante da ameaça de colapso do solo em região de grande densidade urbana na capital alagoana.

Objetivos: Busca-se apresentar o caso alçado pelo “Observatório Nacional sobre Questões Ambientais, Econômicas e Sociais de alta Complexidade e Grande Impacto e Repercussão” ao holofote nacional e apreciar a interação de instituições públicas e privadas na realização de acordos homologados judicialmente para proteção das vítimas, coletividades afetadas e dos interesses difusos da sociedade, refletindo méritos e dificuldades encontradas na utilização de métodos alternativos para solução de macrolitígios.

Metodologia: Tendo em vista que o estudo do caso pode servir ao paradigma para prevenção de desastres utiliza-se do método indutivo e da pesquisa exploratória, no esteio doutrinário e normativo.

Resultados: O acompanhamento do Caso Pinheiro tem o legado de oferecer à função socioambiental elementos para sua concretização, apontando para deveres que recaem sobre a exploração de recursos naturais e da produção econômica pautadas nos princípios do Estado de Direito Socioambiental.

Biografia do Autor

Juliana Jota Dantas, FDA/UFAL

Professora Adjunta da Universidade Federal de Alagoas.

Docente nos Cursos de Graduação e de Mestrado em Direito (PPGD) da Faculdade de Direito de Alagoas (FDA/UFAL).

Orientadora do Núcleo de Pesquisa em Direito Civil e Constitucional (NEDC).

Referências

AZEVEDO, André Gomma (ORG). Manual de Mediação Judicial. Brasília/DF: Ministério da Justiça e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD, 2012.

BARROS, Inês Pena. Um novo conceito de “Empresa Sustentável”: Uma análise à problemática do Greenwashing no contexto europeu. Debater a Europa, [S. l.], n. 23, p. 67-90, 2020. DOI: 10.14195/1647-6336_23_4. Disponível em: https://impactum-journals.uc.pt/debatereuropa/article/view/_23_4. Acesso em agosto de 2021. DOI: https://doi.org/10.14195/1647-6336_23_4

BEZERRA, Jamylle. Movimento Unificado das Vítimas da Braskem se reúne com órgãos para discutir demandas. Gazeta de Alagoas. Maceió, Alagoas, 27 de abril de 2021. Disponível em: https://www.gazetaweb.com/noticias/maceio/movimento-unificado-das-vitimas-da-braskem-se-reune-com-orgaos-para-discutir-demandas/, acesso em 03 de junho de 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça - CNJ. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/caso-pinheiro-a-maior-tragedia-que-o-brasil-ja-evitou/, acesso em junho de 2021.

BRASIL. Justiça Federal. Seção Judiciária do Estado de Alagoas. Disponível em: http://www.jfal.jus.br/noticias/4702, acesso em 03 de junho de 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm, acesso em setembro de 2021.

BRASIL. Lei n° 7347 de 1985. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7347compilada.htm, acesso em 03 de junho de 2021.

BRASIL. Lei n° 8078 de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8078compilado.htm, acesso em 03 de junho de 2021.

BRASIL. Ministério Público Federal. Disponível em: http://www.mpf.mp.br/al/arquivos/2021/acordo_liminares.pdf, acesso em agosto de 2021.

BRASIL. Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Disponível em: https://www.trf5.jus.br/index.php/noticias/leitura-de-noticias?/id=322851, acesso em 03 de junho de 2021.

BRASIL. Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região. Disponível em: https://pje.trt19.jus.br/consultaprocessual/detalhe-processo/0000648-42.2019.5.19.0007/1, acesso em agosto de 2021.

DANTAS, Juliana de Oliveira Jota. Controle de Constitucionalidade e Cláusulas Pétreas Implícitas – A irredutibilidade do direito fundamental ao meio ambiente. São Paulo: Verbatim, 2015.

EHRHARDT Jr., Marcos. Responsabilidade Civil pelo inadimplemento da Boa-Fé. Belo Horizonte: Fórum, 2017.

ENSP, Fiocruz. Mapa de Conflitos de Injustiça ambiental e Saúde no Brasil. Disponível em: http://mapadeconflitos.ensp.fiocruz.br/wp-content/uploads/2020/11/Anexo-VI-Termo-de-Acordo-Braskem_compressed.pdf, acesso em 03 de junho de 2021.

ESTADO DE ALAGOAS. Ministério Público Estadual. Disponível em: Disponível em: https://www.mpal.mp.br/inquerito-civil-para-apurar-danos-urbanisticos-causados-pela-exploracao-mineral-nos-bairros-pinheiro-e-adjacentes/, acesso em junho de 2021.

FACHIN, Luiz Edson; GONÇALVES, Marcos Alberto Rocha. Aspectos da funcionalização da propriedade no modelo brasileiro. In: ALENCAR, Rosmar Antonni Rodrigues Cavalcanti (ORG). Direitos Fundamentais na Constituição de 1988. Porto Alegre: Nuria Fabris, 2008, pp. 124-147.

FENTERSEIFER, Tiago. Direitos Fundamentais e Proteção do Ambiente – A dimensão ecológica da dignidade humana no marco jurídico-constitucional do Estado SocioAmbiental de Direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.

GAMA, Guilherme Calmon Nogueira da; BARTHOLO, Bruno Paiva. Função Social da Empresa. Revista dos Tribunais 100 anos – Doutrinas Essenciais de Direito Empresarial. Volume II, org. Arnoldo Wald, Revista dos Tribunais, 2010, p. 101-124.

GRAU, Eros Roberto. A Ordem Econômica na Constituição de 1988. 7ªed. São Paulo: Malheiros, 2002.

JUSBRASIL. Portal Nacional de Direito do Trabalho. Disponível em: https://pndt.jusbrasil.com.br/noticias/736080572/braskem-e-processada-por-danos-socioeconomicos-causados-em-pinheiro-mutange-e-bebedouro, acesso em 03 de junho de 2021.

KLOEPFER, Michael. A caminho do Estado Ambiental? A transformação do sistema político e econômico da República Federal da Alemanha através da proteção ambiental especialmente desde a perspectiva da ciência jurídica. (Trad.) Carlos Alberto Molinaro. In: SARLET, Ingo Wolfgang (Org.). Estado Socioambiental e Direitos Fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010, pp. 39-72.

KRELL, Andreas J. A relação entre proteção ambiental e função social da propriedade nos sistemas jurídicos brasileiro e alemão. In: SARLET, Ingo Wolfganf (ORG.) Estado Socioambeintal e direitos fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010, pp. 173-188.

NETO, Alfredo de Assis Gonçalves. Direito de Empresa. 3ªed. São Paulo: RT, 2010.

ONU. Declaração de Estocolmo sobre meio ambiente humano de 1972. Disponível em: http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Meio-Ambiente/declaracao-de-estocolmo-sobre-o-ambiente-humano.html, acesso em agosto de 2021.

PILATE, Fabiano Diniz de Queiróz; SANTOS, Isabelle Dias Carneiro; SILVEIRA, Mozart Victor Ramos. A responsabilidade Civil Frente ao Dano Moral Coletivo. In: SOUZA JÚNIOR, Arthur Bezerra de; GOMES, Daniel Machado; FAÇANHA, Josanne; SILVA, Leonardo Rabelo de Matos (ORG). Direito Privado Contemporâneo. 2ª.ed. Rio de Janeiro: Pembroke Collins, 2020, pp. 153-182.

PREFEITURA DE MACEIÓ APRESENTA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO PARA ÁREA DESABITADA ATINGIDA POR RACHADURAS. G1 – Globo.com – AL. 19 de agosto de 2020. Disponível em: Disponível em: https://g1.globo.com/al/alagoas/noticia/2020/08/19/prefeitura-de-maceio-apresenta-projeto-de-revitalizacao-para-area-desabitada-atingida-pelas-rachaduras.ghtml, acesso em junho de 2021.

REZENDE, Elcio Nacur; FLORIANO NETO, Alex. Responsabilidade civil ambiental da empresa diante das tragédias ambientais decorrentes do rompimento de barragens: uma análise à luz dos princípios da função social e da preservação da empresa. Revista Húmus. UFMA, v. 9, n. 25, 2019. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/revistahumus/article/view/11375. Acesso em agosto de 2021.

RIBAS, Felipe Santos; COSTA JUNIOR, Arlei. A importância do Compliance Ambiental para as Empresas – Interfaces entre governança corporativa e impactos socioambientais. RJBL, Ano 5 (2019), n° 3, pp. 581-610. Disponível: http://www.cidp.pt/revistas/rjlb/2019/3/2019_03_0581_0610.pdf, acesso em agosto de 2021.

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Estado Socioambiental e mínimo existencial (ecológico?): algumas aproximações. In: SARLET, Ingo Wolfgang (Org.). Estado Socioambiental e Direitos Fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010.

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Direito Constitucional Ambiental – Constituição, Direitos Fundamentais e Proteção do ambiente. 3ªed. São Paulo: RT, 2013.

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Democracia participativa e participação pública como princípios do Estado socioambiental de direito. Doutrinas Essenciais de Direito Constitucional, v. 10, p. 709 – 757, 2015. Disponível em: https://www.revistadostribunais.com.br/maf/app/resultList/document?&src=rl&srguid=i0ad6adc500000176ce292e38cc4f3cbd&docguid=I668c7aa0463d11e5be9f010000000000&hitguid=I668c7aa0463d11e5be9f010000000000&spos=2&epos=2&td=2&context=100&crumb-action=append&crumb-label=Documento&isDocFG=false&isFromMultiSumm=&startChunk=1&endChunk=1Acesso em: janeiro de 2021.

SILVA, José Afonso da. A liberdade no mundo contemporâneo. Constituição, Economia e Desenvolvimento. Revista da Academia Brasileira de Direito Constitucional. Curitiba, 2018, Vol.8. n. 14, Jan-Jun, p. 99-111.

TAVARES, André Ramos. Direito Constitucional Econômico. São Paulo: Método, 2003.

UFAL. ASCOM. Caso Pinheiro: Fundepes protocola cinco projetos focados na reestruturação dos bairros para setores públicos de Alagoas. Disponível em: http://www.fundepes.br/caso-pinheiro-fundepes-protocola-cinco-projetos-focados-na-reestruturacao-dos-bairros-para-setores-publicos-de-alagoas/, acesso em agosto de 2021.

Publicado

14-12-2022

Como Citar

DANTAS, J. J. REFLEXÕES SOBRE O “CASO PINHEIRO” À LUZ DO ESTADO DE DIREITO SOCIOAMBIENTAL BRASILEIRO. Revista Eletrônica Direito e Política, [S. l.], v. 17, n. 3, p. 755–779, 2022. DOI: 10.14210/rdp.v17n3.p755-779. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/rdp/article/view/18384. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos